Ir para o conteúdo principal

Cinema São Jorge

FESTA DO CINEMA ITALIANO
FESTA DO CINEMA ITALIANO
A Festa do Cinema Italiano é o acontecimento mais importante em Portugal dedicado à cultura italiana promovendo, além do cinema, música, literatura, arte e eventos gastronómicos.
Em Lisboa, o festival realiza-se de 12 a 21 de abril, no Cinema São Jorge, no UCI El Corte Inglés, na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema e, pela primeira vez, no recentemente reaberto Cine-Teatro Turim, em Benfica.

Sex 12/Abr a Dom 21/Abr
Horários diversos
Informação de preços:
  • Bilhete normal: 5,00€ 
  • Bilhete com desconto (menores de 25 anos, maiores de 65 anos, desempregados*, Sócios de Associações Italianas 50&PIÙENASCO e SPG*, Estudantes do Centro Dante Lisboa* e Estudantes IIC*): 4,00€
               *Mediante apresentação de comprovativo
  • Voucher 5 Filmes: 20,00 € (sessão de Abertura, sessão de Encerramento e sessões com preços especiais não incluídas)
  • Concerto Massimo Zamboni: 10,00 €
  • “La Primavera Della Mia Vita – Colapesce Dimartino”: 10,00 €
  • Sandro Cappai Live – Stand-Up Comedy: 10,00 €
  • Tudo É Possível – Magic Night com Magic Douglas: 7,00€
 
  • Eventos Sala 2 - Gratuitos: 
                - Atividades Infantis / Aulas de italiano: reserva para email da festa e levantamento de bilhetes no Welcome Desk da Festa
                - Filmes/ Encontros e Conversas: entrada livre, mediante levantamento de bilhete, no próprio dia, na bilheteira no Cinema São Jorge – sujeito à lotação da sala



Programa
Sandro Cappai Live

Sandro Cappai Live

FESTA DO CINEMA ITALIANO
Sandro Cappai estreia-se em Lisboa com o espetáculo de stand-up comedy italiano “Sandro Cappai Live”, onde apresenta material totalmente inédito.Com o seu estilo direto e informal, Sandro Cappai conta a história de um jovem de trinta anos, com uma vida cheia de ansiedades e hipocondrias, na qual os nossos ideais mais puros são questionados pelos desafios do dia a dia. Um espetáculo em que até os detalhes aparentemente mais pessoais e insignificantes das nossas vidas são redescobertos como universais e épicos. Ou, pelo menos, é essa a ideia.SANDRO CAPPAINascido em Cagliari (Sardenha) em 1993, Sandro Cappai é comediante de stand-up e autor de banda desenhada.É cofundador do projeto “Stand-up Comedy Sardegna” e faz parte da redação do website humorístico Lercio.it. Apresentou o podcast "I Pugedos" com Valeria Pusceddu e atualmente apresenta o podcast "Tazza di Caffè" com Giordano Folla. Em 2019 gravou o seu especial de comédia para a série "Italian Stand Up", no Zelig em Milão, posteriormente distribuído na Zelig Tv, Prime Video e Rai 5.Em setembro de 2022, publicou gratuitamente no YouTube o seu segundo especial de comédia intitulado “Non è andata proprio così”, que alcançou centenas de milhares de visualizações em pouco tempo.Depois de “Politica, sesso, zabaione e morte” (2019/2020) e “Non è andata proprio così” (2021/2022), está atualmente em digressão por Itália, com “Non si muore così facilmente”, o seu novo espetáculo de stand-up comedy. 
O Sol do Futuro

O Sol do Futuro

FESTA DO CINEMA ITALIANO
Com este filme, Moretti demonstra que ainda acredita no cinema. E dança, e canta ao som das notas de uma apoteose pungente. E nós com ele.Giovanni, um realizador italiano dividido entre uma mulher em análise e um produtor à beira da falência, deixou de acreditar no futuro. À imagem do seu protagonista, figura de proa da Unidade e da secção comunista de Quarticciolo, quer "acabar com tudo", com o mundo a avançar numa direção obstinadamente contrária.O Sol do Futuro é o fim e o princípio de alguma coisa, uma espécie de apoteose em que o autor materializa o seu pensamento sem entraves, se lança em breves e requintados discursos contra a violência no cinema, contra as plataformas, os sabots, a improvisação, Estaline, reduz a presunção, pede à mulher que não o deixe e, de repente, começa a cantar, a dançar, a dar pontapés numa bola. Deixa-se levar pela música e nós vamos com ele, os seus actores vão com ele, numa cortejo meta-cinematográfica morettiano.Giovanni, um realizador italiano dividido entre uma mulher em análise e um produtor à beira da falência, deixou de acreditar no futuro. À imagem do seu protagonista, figura de proa da Unidade e da secção comunista de Quarticciolo, quer "acabar com tudo", com o mundo a avançar numa direção obstinadamente contrária.O Sol do Futuro é o fim e o princípio de alguma coisa, uma espécie de apoteose em que o autor materializa o seu pensamento sem entraves, se lança em breves e requintados discursos contra a violência no cinema, contra as plataformas, os sabots, a improvisação, Estaline, reduz a presunção, pede à mulher que não o deixe e, de repente, começa a cantar, a dançar, a dar pontapés numa bola. Deixa-se levar pela música e nós vamos com ele, os seus actores vão com ele, num cortejo meta-cinematográfica morettiano.
EXCURSÃO A ITÁLIA - CURTAS PT ANIMAÇÃO 1

EXCURSÃO A ITÁLIA - CURTAS PT ANIMAÇÃO 1

FESTA DO CINEMA ITALIANO
Seleção das melhores curtas portuguesas que marcaram presença em festivais italianos. Em colaboração com a Agência da Curta Metragem. EstilhaçosEste é um filme sobre a forma como a Guerra se instala no corpo das pessoas que a vivem olhos nos olhos. E, depois, a milhares de quilómetros e dezenas de anos decorridos, contamina, como um vírus, outros seres humanos. Independência de EspíritoClélia é uma mulher que se dá bem com a solidão, é com ela que enche a sua casa Lisboeta, de pátio e jardim. Dedica-se às plantas e um dia, quase sem dar por isso, começa a falar com elas... Que faço eu? Agora falo com flores?! Questiona-se a Clélia. A resposta virá da sua vizinha, que fala com tachos… A SonolentaNuma casa de aldeia, Maria, uma jovem menina criada de um casal, quer dormir. Está cansada, muito cansada, mas é constantemente importunada pelo choro da criança que tem a cargo e pelos pedidos dos senhores. Sopa FriaUma mulher, vítima de violência doméstica, recorda os anos em que esteve casada e como foi difícil manter-se à tona. O SapateiroUm sapateiro embrulhado entre as memórias da sua vida e a sempre presente profissão, vive um momento crucial na sua existência. Acompanhamos um dia gigante na sua vida que será determinante no resumir do seu passado e na descoberta do seu rumo. FuligemÉ como fuligem que se deposita nas paredes da nossa cabeça. Não a vemos. Já faz parte. AgouroUm inverno rigoroso congela a superfície de um rio junto à casa onde vivem dois primos. Envolta no vento gelado que se levanta naquele dia, a rudeza da relação entre os dois cresce, atingindo o limite.
EXCURSÃO A ITÁLIA - CURTAS PT ANIMAÇÃO 2

EXCURSÃO A ITÁLIA - CURTAS PT ANIMAÇÃO 2

FESTA DO CINEMA ITALIANO
Água MoleOs últimos habitantes de uma aldeia não se deixam submergir no esquecimento. Num mundo onde a ideia de progresso parece estar acima de tudo, esta casa flutua. EloDurante um dia anoitecido, dois personagens procuram adaptar-se. Três Semanas em DezembroÉ uma história pessoal que enaltece os laços familiares, utilizando o sketchbook e a família como referência, este filme segue um formato diarístico, mostrando diversas situaçoes e eventos que fazem parte da cultura e rotina em Belmonte, durante a época do Natal. Nossa Senhora da ApresentaçãoO resgate de um poema, escrito pelo neorrealista Álvaro Feijó em 1940, trá-lo de volta aos dias que o imitam. Instalando-se lentamente no coração de homens e mulheres, tornando-os refém da sua Graça, ei-la revelando toda a sua natureza, ao mesmo tempo que pronuncia, sem misericórdia, o seu nome. O Homem do LixoNuma tarde quente de Agosto, a família junta-se à mesa. As memórias de cada um vão-se cruzando para recordar a história do tio Botão. Da ditadura à emigração para França, onde trabalhou como homem do lixo, e quando voltava a Belmonte na carrinha cheia de “lixo”que transformava num verdadeiro tesouro. NestorNestor, um homem com vários comportamentos obsessivo-compulsivos, vive num barco-casa instável que nunca para de oscilar. De ImperioDurante uma noite tranquila, um grupo de fugitivos tenta encontrar o caminho para o centro do edifício, onde toda a resistência se está a juntar. Evitando a vigilância, eles passam pelas salas dos Gigantes e testemunham as suas rotinas macabras. Ice MerchantsUm homem e o seu filho saltam de pára-quedas todos os dias, da sua casa fria e vertiginosa presa no alto de um precipício, para se deslocarem à aldeia que se situa na planície abaixo, onde vendem o gelo que produzem durante a noite.